aqui

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

História da enfermagem


OS ANTECEDENTES E O SURGIMENTO DA ENFERMAGEM MODERNA


· ORIGEM DA PROFISSÃO DE ENFERMAGEM

Eras remotas – Fase empírica
· Primeira enfermeira: Mãe
· Nômades à fixação de moradia  divisão social do trabalho  cuidado com crianças velhos e doentes


· ORIGEM DA PROFISSÃO DE ENFERMAGEM

Eras remotas – Fase empírica
· Doenças – castigo de Deus ou o poder diabólico exercido sobre os homens
· Sacerdotes e feiticeiros
· Sacerdote-médico – conhecimento de plantas medicinais. Delegava o preparo a assistentes que acumulavam a função de farmacêuticos e enfermeiros.


· TEMPOS ANTIGOS (4.688 a/C)
· Descobrimento da anatomia; fórmulas médicas; enciclopédias religiosa-científicas que identificavam o coração como centro da circulação; Conhecimento de ligamentos, músculos, vasos linfáticos, nervos, plexos e faziam suturas amputações e correção de fraturas.
· Tratamento: banhos, clistéres, inalações, sangrias e dieta
· Índia: Tinham hospitais e é o único país onde, à época, se falava em enfermeiros exigindo dos mesmos qualidades e conhecimentos (asseio, habilidade, inteligência, conhecimento de culinária e preparo de remédios. Deveriam ser puros, dedicados e cooperativos).
· Grécia: Hipócrates (pai da medicina) - lançou a base da medicina científica, pregava a observação do doente para fins de diagnóstico, prognóstico e terapêutica.
· Dissecção de cadáveres – evolução da medicina.

· ERA CRISTÃ - FASE RELIGIOSA
· Nasce a comunidade cristã com o ideal da caridade.
· Primeiros séculos - o cuidado ao enfermo era prestado por diáconos e diaconisas.
· Diáconos eram pessoas ricas que praticavam a filantropia e o cuidado de enfermagem.
· Diaconisas- “As viúvas que dispunham de tempo, assim como as virgens que se consagravam a Deus, tomavam parte ativa nesse socorro aos pobres e doentes”(Paixão, 1969,p.29).
· O trabalho dos diáconos e diaconisas promoveu uma revolução social com os serviços de assistência prestados, porém, sofreram a perseguição por judeus e pagãos que eram contra o cristianismo.
· Após 3 séc. de perseguição a igreja é declarada livre para exercer suas atividades.
· Inicia-se o desenvolvimento da assistência com a organização de hospitais e recolhimentos dirigidos por bispos.
· Nos séc. IV e V cresceu o número de hospitais cristãos, que abrigavam além de doentes, órfãos, velhos, deficientes e peregrinos.
· Os bispos tinham conhecimento de medicina e organizavam e orientavam a assistência.
· Hospital Bethlehen Inglaterra séc.XVII e XVIII
· O número de doentes mentais aumenta assim como a pobreza e as prisões são usadas para segregar esses pacientes. Acredita-se que por serem pobres e insanos eles haviam caído na desgraça divina. Muitos são ridicularizados, maltratados e até mesmo expostos publicamente

· IDADE MÉDIA
· Ordens Militares – Cruzadas séc. XI
· Inicia a organização da enfermagem sob a forma religiosa-militar.
· Criaram-se hospitais para socorrer os peregrinos cristãos perseguidos pelos mulçumanos.
· As ordens militares se destacaram pelo cuidado aos loucos e aos leprosos.
· É criada a ordem terceira (sec. XII/ S. Francisco) permitindo que pessoas casadas e outras que tinham deveres no mundo praticassem a caridade cuidando de doentes sem fazer votos.
· Muitos desses eram nobres. As ordens terceiras foram fundamentais para o progresso da enfermagem.

· FASE DE DECADÊNCIA
· Reforma Protestante – expulsão das religiosas dos hospitais, não havendo pessoal para substituí-las.
· O cuidado passou a ser prestado por pessoas de reputação duvidosa. A maioria mulheres por ser o serviço considerado doméstico, ainda era pesado, com remuneração escassa e sem organização nem supervisão.
· Os doentes morriam ao abandono, eram extorquidos de gorjetas, não tinham higiene e a comida era insuficiente.
· Esse período foi também chamado Período Obscuro ou Período Negro da enfermagem.

· ORDENS RELIGIOSAS QUE SE DESTACARAM ANTES DA ENFERMAGEM MODERNA

· Confrarias de Misericórdia
· A primeira foi Fundada em Lisboa por Frei Miguel de Contreras no séc. XVI.
· Seus associados exerciam a caridade através de atividades de enfermagem.
· Todo núcleo de povoação em colônia portuguesa tinha sua Sta Casa de Misericórdia.
· As Santas Casas recebiam apoio dos poderes públicos e esforçavam-se para ter o possível de organização hospitalar na época.
· No Brasil a 1a Sta Casa de Misericórdia foi criada em Santos (SP) em 1543.



· Confraria da Caridade

· Criada na França por S. Vicente de Paulo no séc. XVII, era formada por senhoras que se propunham a socorrer pobres e doentes da paróquia.
· Se ampliou pelas aldeias da França chegando a Paris onde a miséria era grande e mostrou-se eficiente em períodos de fome, epidemia e peste.
· Devido a dificuldade das senhoras da sociedade em servir aos pobres a domicílio, criou-se o Instituto das Filhas de Caridade que aceitava jovens camponesas que serviam aos doentes sob a vigilância das Senhoras da Caridade.
· Cria-se a Congregação das Filhas ds Caridade (1633) - Irmãs que viviam sem clausura e andavam livremente pelas ruas para acudir aos doentes.
· Em 1625 , Luiza de Marillac , viúva passou a dedicar-se a obra da caridade recebendo a missão de inspetora nas paróquias onde São Vicente de Paulo ou seus missionários pregavam as missões.
· As irmãs de Caridade deveriam saber ler e escre-ver, tinham um programa de ética e respeitavam a dignidade humana do pobre. O que contribuiu para o reerguimento da enfermagem.
· Em 1640, as Irmãs tomaram a direção de um hospital e difundiram-se pelos países cristãos.
· Um grande feito das Irmãs de caridade foi a reorganização do Hotel Diêu em Paris onde se abrigavam mais de 2000 doentes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário